quarta-feira, 5 de abril de 2017

Ransomware: o crime quase perfeito...

O sequestro de dados de pessoas e empresas é a próxima grande ameaça digital por uma razão assustadora: é quase impossível rastrear os criminosos

Na manhã de 23 de fevereiro, uma quinta-feira antes do Carnaval, a empresária Maria Nogueira* foi chamada por um funcionário da área de tecnologia de sua fábrica de autopeças, em Santana do Parnaíba, São Paulo. Ele havia recebido um e-mail de um remetente identificado como “MK Scorpion”. Num inglês macarrônico, misturado a palavras em russo, Scorpion apresentava-se como hacker, informava que havia invadido o sistema da fábrica e bloqueado informações cruciais para produzir as peças. Para desbloquear essas informações, Maria teria de transferir, em 24 horas, três unidades da moeda virtual bitcoin (em torno de R$ 12 mil). Após o prazo, o valor subiria. Sem muito conhecimento de tecnologia da informação, a empresária nem sequer compreendeu a exigência de resgate. Ao pedir mais detalhes para Scorpion, recebeu como resposta um tutorial detalhado sobre como comprar um bitcoin e transferir para a conta do hacker. “Percebi que se tratava de um sequestro da minha empresa”, diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário