quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Computação em nuvem vai reduzir os departamentos de TI?

Muitos dos tradicionais players de TI estão utilizando seus recursos para criar ofertas competitivas baseadas na computação em nuvem, notoriamente Sales Force e IBM. Em paralelo, uma nova geração de empresas tradicionalmente não ligadas ao fornecimento de TI está se posicionando nessa arena, tais como Google, Amazon e a empresas locais, como Locaweb.

Muitas soluções de computação em nuvem, especialmente no tocante ao SaaS, exigirão cada vez menos envolvimento do Departamento de TI. Os usuários corporativos vão poder utilizar no futuro muitas dessas soluções inteiramente baseadas em um modelo self-service, o que a E-Consulting definiu, já em 2002, como Self-Technologies, em seu estudo anual 7 Hot Techs.


Obviamente, ainda existem perguntas não respondidas, desafios desconhecidos e até alguns riscos potencialmente importantes na adoção de Computação em Nuvem. Notadamente, estes incluem a segurança dos dados, o risco de bloqueio ao acesso da plataforma e a perda de controle sobre os recursos geridos e armazenados por terceiros na nuvem.

Por outro lado, existem benefícios importantes que precisam ser considerados. De modo geral, estes incluem a redução significativa dos custos com estrutura física e humana,  e a capacidade de alavancar rapidamente os recursos de TI, quando necessário. 

Além disso, a computação em nuvem traz a promessa de facilitar a gestão da mudança da infra-estrutura, incluindo a manutenção e atualizações (redução óbvia de TCO), bem como oferecer agilidade para mudar de fornecedores, especialmente quando a interoperabilidade da nuvem torna-se realidade.

Concluindo sobre os reais benefícios que a Computação em nuvem já está trazendo para as empresas, é correto afirmar que as áreas de infra das empresas sofrerão cortes signficativos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário